Mulher de 120 kg recusa a cirurgia, muda estilo de vida e elimina 27 kg

A assistente de RH só começou a se preocupar com a balança depois de uma visita de rotina à endocrinologista em agosto de 2012

14/09/2013 - 16:52

O excesso de peso nunca pareceu incomodar a mineira Valtuita Araujo da Silva, de 39 anos. “Gordinha desde a infância”, como ela mesma se define, a assistente de RH só começou a se preocupar com a balança depois de uma visita de rotina à endocrinologista em agosto de 2012.

“Estava com 120 kg na época, o que já significava obesidade mórbida. Além disso, o colesterol e a glicemia estavam alterados e estava também com gordura no fígado”, lembra Valtuita, que atualmente mora em São Bernardo do Campo, em São Paulo.

Por causa do peso, a endocrinologista concluiu que havia a indicação de cirurgia bariátrica e quis encaminhar a mineira para realizar o procedimento. No entanto, Valtuita recusou a recomendação e resolveu que emagreceria com reeducação alimentar e exercício físico, sem a necessidade de cirurgia. “Fui encaminhada para uma nutricionista, que me orientou a comer de 3 em 3 horas, a diminuir os carboidratos, aumentar o consumo de verduras e frutas, trocar o açúcar por adoçante e optar por alimentos light, além de comer em menos quantidade”, lembra.

Reduzir a quantidade e mudar a dieta de um jeito tão radical foi uma grande dificuldade no início, ainda mais por causa de todas as tentações dentro de casa.

“Eu comia 3 pães no café da manhã, muita fritura, muita gordura e não tinha nenhum controle. Depois que comecei a reeducação, foi difícil porque pediam pizza e eu não podia comer um pedaço porque sabia que não ia ser só um”, lembra. Valtuita se rendeu aos grelhados e a grelha, que era apenas um enfeite na casa da família, finalmente começou a ser usada. “Dava preguiça de usar, então sempre preferia a fritura, mas hoje me adaptei”, diz.

A preguiça teve que ficar de lado também na hora de fazer atividade física. Decidida a mudar totalmente, ela procurou uma academia e começou a fazer exercícios voltados para a perda de peso. “No começo, eu sentia o corpo cansado porque não estava acostumada, mas ia de segunda-feira a sábado”, conta. Para ajudar, ela começou a ir trabalhar a pé em um trajeto de 10 minutos que antes fazia de ônibus. “Eu tinha preguiça, mas agora troquei e vou a pé, além de trocar o elevador por escada também, por exemplo”, diz.

Três meses depois, o resultado foi começando a aparecer: as pessoas passaram a comentar e as calças começaram a ficar largas. “Isso tudo foi me dando vontade de continuar”, lembra.

Depois de um ano, Valtuita comemora os 27 kg a menos na balança, os resultados positivos dos exames, a recuperação da vaidade e disposição que há tempos não tinha. “Hoje estou com 93 kg e nunca imaginei que mudaria tanto. Valeu muito a pena, só me trouxe coisas boas”, avalia.

Porém, a batalha continua e a mineira mantém os hábitos saudáveis para chegar ao objetivo de 80 kg. “Nunca me importei de ser gordinha, mas quando vi minha saúde em risco, tive que mudar esse pensamento. Hoje eu aprendi a comer e me adaptei, então fico satisfeita logo”, conta. Para quem precisa emagrecer, ela acredita que o principal é a dedicação. “Vão existir tentações, vão aparecer coisas que você não pode comer, mas tem que se dedicar e ter muito esforço”, recomenda.

FONTE: G1
TÓPICOS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ver mais+

DEIXE SEU COMENTÁRIO

voltar para o topo